megafone
MEGAFONE
Sáb, 10 de Setembro de 2016 15:14

 

Novas ideias – Não há dúvida que o comício de Júlio e Tibeco, foi um verdadeiro desfile de ex-prefeitos (apoiadores da dupla), se juntarmos tudo dá mais de 20 anos no comando do município, na minha opinião esse quadro não apresenta nada de novas ideias, apenas os carcomidos pelo tempo, pois poucas coisas fizeram de concreto são aquelas que parecem ter sido feitas com a areia da praia, pois não duram um ano e pedem por reformas. Muitos podem dizer quantos postos de saúde foram feitos daí eu pergunto: O que adianta postos de saúde se não tem médicos especialistas, remédios, na maioria serve apenas de cabide de emprego pois profissionais mesmos são poucos. Foram feitas escolas e creches, de pouco servem já que na maioria das vezes os professores não tem o material e não  recebem incentivos para poder dar uma educação de qualidade para os nossos filhos, e por aí vai...Cadê as novas Ideias?

Coordenadores de Campanha política
– Em época de campanha é preciso ficar atento, principalmente com os coordenadores de campanha. Eles pensam que mandam em tudo, e, até se acham no direito de botar preço no negócio alheio. Assim fica fácil ter as rédeas na mão, principalmente dos que se sujeitam a esse tipo de atitude. Infelizmente certo coordenador escolhido por um candidato, é exemplo típico de uma futura administração que já começa na contramão. Imagine como será o primeiro escalão de um governo, seja na esfera, municipal, estadual ou federal. Coordenadores normalmente pensam que mandam em tudo. Pelo visto nada deve mudar para realmente melhorar. De novas ideias o inferno esta cheio, e não adianta ficar bravinho.

Chutando alto –
É normal em época de campanha política ver toda espécie de candidato, o que mais aparece é o candidato “Prometeu”, aquele que tem lábia e leva todos no bico, candidatos  abastados que fornecem cestas básicas, candidatos amiguinhos, que ainda pensam estar no jardim de infância, candidatos sacoleiros que vivem distribuindo sacolões e sequer conhecem o Paraguai, candidato posto de combustível, aquele que fornece gasolina a vontade em troca de um perfurado,  candidatos  coitadinhos que agem diante dos outros como quem pede esmola ou um emprego político, e até o candidatos x-salada, aquele que é tudo isso e mais um pouco.  Por aí vai.

Chupins de Candidatos –
Ao ver os nomes de candidatos, neste caso “Penha”, não analiso o candidato, mas o bando de chupins que vem junto com o dito cujo. Você sabe que o pássaro chupim bota ovos no ninho de outros pássaros para não ter que trabalhar (fazer seu ninho e alimentar seus filhotes). Assim são essas figuras que se dizem assessores políticos. Para mim não passam de pequenos urubus ou corvos que usam e abusam de tudo que é do alheio.

Fugindo da raia – Um passarinho me contou de última hora, que estão organizando para o dia 22/09, no salão paroquial, no centro de Penha, uma sabatina para os candidatos a prefeito para apresentarem suas propostas. Por mais que se pareçam com cavalos de corrida eleitoral, tem candidato fugindo da raia. Se agora já está assim imaginem se ganharem a eleição?.

 
MEGAFONE
Sáb, 27 de Agosto de 2016 17:33

 

Candidatos e cabos eleitorais doentes, não vale ficar com raivinha, mas vou fazer aqui apenas uma análise da situação política atual da cidade de Penha.

Candidato promessa: Em época de eleição, as armadilhas estão por todos os lados, principalmente aquelas dos candidatos que pleiteiam o voto do povo. Infelizmente, o que mais se vê, são os candidatos promessas. Aqueles que iniciam sua campanha fazendo inúmeras promessas sem noção de como vão executar tais promessas.

Diante das investidas, eles tratam os outros com muito lero-lero e nada representam de fato, apenas pretendem defender seus interesses escusos. Olha que não são poucos os usurpadores do voto do povo.

Muito cuidado nesta hora, tem candidato a prefeito que chega a tirar" Coelho da cartola" porque não consegue caminhar com as próprias pernas e seu vice que não tem Coelho, leva "Evandro mesmo" (logicamente que por onde coelho passa, Evandro desvia por causa de muitos buracos, mas com certeza estão de mãos dadas lá na frente.). O que não falta em época de campanha são mágicos, tudo bem que estamos na terra da magia e diversão, mas não podemos deixar esses aspirantes a políticos zombar do povo.

Outro candidato pensa que ainda dirige a associação de estudantes, dizendo que querem uma "Penha diferente, é possível cuidar melhor das pessoas da nossa cidade", (essas frases me lembram alguém), por mais que estejam há anos fazendo parte e defendendo o atual governo, continuam prometendo o que já foi prometido e nada foi cumprido.

Por outro lado, o que seria a grande esperança de mudança, trouxe uma "penca" de partidos grudados, vale lembrar que os mesmos nanicos estavam grudados na rede do outro lado e também nada fizeram, apenas incharam a máquina ou mamaram na teta deixando o povo novamente em uma sinuca de bico.

 


 

Ninho de cobras - O que se vê atualmente é um verdadeiro ninho de cobras amontoadas tentando liderar o ninho para tomar conta do jogo político. Vale lembrar que por mais que sejam filhotes, Cobra é cobra.

Não há dúvidas que o povo deve ficar muito atento e fugir desses ninhos para evitar picadas que vão incomodar e estar sempre infeccionadas nos próximos quatro anos, para completar o quadro todos não passam de armadilhas e o povo parece estar em frente à uma casa lotérica para fazer suas apostas.


 

Sem remédios - É muito triste não ter voz na casa do povo, na sessão do dia 22/08 o vereador Tibeco disse a vereado Juraci que ela deveria provar que faltam medicamentos na farmacia básica de Penha. Eu e outras pessoas, prova viva da falta de medicamentos, infelizmente ficamos calados e engolimos à seco, pois o povo não pode se manisfestar na casa do povo.Hipocrisia pura.

 
Candidatos à Prefeitura de Penha
Sáb, 13 de Agosto de 2016 17:03

Mais uma vez o povo está diante de uma nova decisão muito importante para toda à cidade. Posso aqui expressar ou dar um parecer sobre cada um deles, pois os conheço de outros verões e sem dúvida muitas são as razões para avaliar cada qual sob o meu ponto de vista, então vou começar pela ordem alfabética.

 

Aquiles/PMDB - Tem experiência no setor público e atuou durante muito tempo como fiscal da prefeitura de Penha, foi vereador, alargou seu conhecimento atuando de forma expressiva junto à SDR, fez um grande trabalho dentro da sua responsabilidade e agiu com diplomacia para manter as rédeas de um cargo que envolvia outros municípios da região.

 

Felipe schmidt /PSD - Se mostrou grande líder na área estudantil, liderando grandes grupos para manter unida esta categoria em sua gestão, ocupa atualmente o cargo de vereador da cidade foi presidente da câmara municipal e é formado em direito.

 

Júlio Cesar Duarte da Silva/DEM - Sempre teve os olhos voltado para o setor empresarial alimentício, criou à Júlio Lanches, Gertrudes Bier e a Júlio Pizzaria, sempre apoiado pela família.

Candidato com perfil empresarial e outras lideranças, começam à enfileirar-se na rota da política, o que é importante para a cidade, ter pessoas com esses conhecimentos que permite fazer futuramente uma gestão ímpar, deixando de lado aos poucos os conchavos que nada somam com o crescimento geral, apenas travam nosso desenvolvimento.

Já que estamos falando de futuro da cidade, pois é isto que interessa para todos nós, águas passadas não movem moinho. O que precisamos de fato, é avaliar cada candidato, sua trajetória política, profissional, pessoal e qual sua representação coletiva, e, como se diz em um velho dito popular, “É pra frente que se anda”

O mais importante agora, é todos se darem as mãos para caminhar na direção de um novo horizonte e saber como expurgar as dificuldades do caminho, pois inteligentes todos são, responsáveis também, vulneráveis idem, o que não sabemos de fato é? “Quem vai carregar essas bandeiras em prol do povo”. Fica à dica, vamos analisar cada caso?

 

Mais um Desafio - Está chegando à hora do eleitor enfrentar mais um desafio. "Escolher quem será o próximo prefeito da cidade". Já está provado que um ato ou uma decisão preciptada, leva muitas vezes as piores consequências para muitos. Portanto, é preciso avaliar de forma antecipada e cuidar com as armadilhas de campanha. Lembro de um certo quadro que uma fogosa mulher dizia: "Brasileiro é tão bonzinho" Mas as consequências vem em seguida.

 
MEGAFONE
Sáb, 30 de Julho de 2016 18:45


Candidatos minhoca –
O cenário da politica é um tanto quanto curioso quando chega época de eleições aparecem os mais diferentes tipos de candidatos como: os famosos candidatos minhoca que vivem embaixo da terra e se dizem filhos da mesma, que os demais são curva de rio como diz o atual e pré-candidato a vereador Juju/PSDB e muitos outros que pensam dessa forma. Para mim, curva de rio é tranqueira (entulho que não presta para nada), não podemos esquecer que boa parte de quem movimenta o município, são de outros lugares que escolheram Penha para se instalar e ajudar a cidade a progredir, enquanto muitas candidatos minhocas não servem nem para adubar a terra.

Visitante – Esta semana tive a honra de receber a visita do pré-candidato a prefeito de Penha Felipe Rebelo Schmidt/PSD. Sua visita foi importante e demonstrou sua preocupação com o futuro de Penha. Após expor suas intenções para promover o bem-estar da cidade e do seu povo, Felipe deixou claro que está preparado para assumir uma prefeitura e conta com o apoio bem diversificado podendo impulsionar a economia e vários segmentos do município.

A política e o formigueiro - Estamos novamente as portas de mais uma eleição e muitas coisas começam à ser articuladas (costuras), é como um formigueiro que aos poucos vai se formando no campo, se juntam para construir um novo cenário.
Diante deste novo cenário em construção, muitas coisas boas passam ou circulam por ele. Infelizmente, poucos bons ficam e se tornam à minoria, mas se essa minoria souber agir com as ferramentas legais disponíveis neste processo, com toda à certeza saberá cortar o bife e separar o joio do trigo.
Sem dúvida esta é uma tarefa árdua que requer muita habilidade, principalmente quando se trata de cortar à própria carne. Fazer valer antes de tudo à moral de cada um, o que seria um grande feito e merecedor de muitos créditos por parte da população, tirando os coniventes é claro.
Diante desse cenário incerto, pois não se sabe o que vem por ai? A maioria do povo fica jogado à sorte ou ao relento, sem saber o que de fato virá, porque de chupins o povo já está cheio. Principalmente dos sague-sugas da política, mas caso eles apareçam novamente, então fico com aquele velho ditado: “Cada povo tem o governo que merece”, mas quero ser otimista e dizer que o povo saberá escolher, e quando se faz para o bem, toda tentativa é válida.
Não há dúvidas que muitos vem com boas intenções, mas como diz um velho dito popular: “De boas intenções, o inferno está cheio”. O que não podemos é ser frágeis e não podemos deixar de analisar ou avaliar cada candidato, seja na vida profissional ou pessoal. Fatores importantes como esses, ajudam à peneirar melhor os representantes do povo nesta hora, facilitando uma decisão que você terá de aguentar calado durante quatro anos
É muito fácil estender à mão por aí e depois lavar, quero ver estender à mão durante quatro longos anos e fazer de fato o que à boca prometeu. “Dizem que o papel aceita tudo e o que sai da boca não de escreve no meio político”, não é via de regra geral, existem bons políticos, o grande problema está na moeda de troca. Favores e jeitinhos fazem parte desse livro que corrompe à sociedade e aniquila os valores, inclusive individuais, manchando o cenário que deveria ser bem conservado.
Diante de mais este quadro, acredito e afirmo que ainda vale à pena investir em nomes realmente empenhados com à sociedade em geral e dar um voto de confiança, apenas observar com cuidado se não há um formigueiro à sua espera para grudar na sua perna e transformá-la em uma tábua de salvação.

 
Penha 58 anos
Seg, 18 de Julho de 2016 14:58

 

Hoje deixo de lado os tópicos tradicionais desta coluna para falar sobre os 58 anos de Penha, que à princípio deveria ser muito comemorado pela população, mas infelizmente pouca coisa se fez de fato exceto maquiagem para chamar à atenção dos eleitores que continuam pagando os salários para políticos que pouco se importam com o cidadão independente de classe social.

Quero antes de qualquer coisa parabenizar este povo que tem características acolhedora, hospitaleira e gentil.

Não há dúvidas que a atual administração teve vontade de melhorar, mas como diz o velho ditado: “De boas intenções, o inferno está cheio”. Infelizmente boa parte do grupo que está ao lado desse governo em função de coligações, deixaram a desejar.

Primeiro havia a gana de assumir o poder, e como se num passe de mágica, os problemas que atinge diretamente a população estariam resolvidos. O tempo passou e lá se foram 8 anos, de nada adiantou a experiência de um governo que se reelegeu com a desculpa que precisaria mais tempo para melhorar a vida deste povo, “o que não ocorreu”.

Muitos que chegaram com força para tentar impres¬sionar, mas não estavam e não estão qualificados para cumprir o seu papel mínimo, respeitar a população que lá os colocou.

Agravos, conchavos, denúncias, processos e outras questões começaram a desabar sobre à cabeça do administrador, o povo já entendeu claramente este cenário e com certeza saberá como eliminar de vez esses problemas, caso contrário, muito ainda irá amargar.

Com as eleições se aproximando, é possível que na reta final ainda consiga fazer o herdeiro da espinhosa cadeira, pelo menos é o que seus protegidos pensam?

Esse negócio de achar que está com a máquina na mão pode estar com óleo faltando e fundir à mesma no caminho. já assisti este filme muitas vezes, principalmente quando o PMDB estava com ela na mão e perdeu as eleições para o sentimento de mudança que não aconteceu.

A manifestação contrária de quem apoiou no passa¬do, são fortes indícios de enfraquecimento aparente, e não é por questões de ser ou não competente, é que não adianta querer ser bonzinho para agradar os outros e acaba fazendo as coisas sem seguir um planejamento para soluções de fato.

As “obras” inauguradas por este governo, não passam de “castelos de areia” boa parte esta com problemas e precisam de reformas decentes. Enquanto pelas ruas o povo continua andando com seus carros em buracos, sujeira, nas praias sem manutenção de limpeza, e o pior, a juventude sem pers¬pectiva de emprego por não haver uma política de incentivo para geração atual e outras necessidades básicas.

O que faço aqui não é apenas uma simples crítica, mas um alerta para quem está no comando da cidade e que o efêmero poder acaba quando não há retorno para a socieda¬de. É como se fosse um casamento que ao perder o encanto, o amor já se foi, as mágoas ficaram e o elo de ligação se rompe quando menos se espera.

Para completar meu raciocínio, fico ainda mais pas¬mo ao ver que no dia escolhido para a comemoração do aniversário de Penha (16/07), se chover não haver comemoração alguma. Mas o que importa isso agora? Importa que a cidade e seu povo merece respeito, coisa que muita gente continua igno¬rando e pode também ser pelo povo ignorado! Parabéns Penha.

 
« InícioAnterior12345678910PróximoFim »

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL