opiniao
ECONOMIA & NEGÓCIOS
Sáb, 04 de Novembro de 2017 11:52

Lutero 500 anos (1)
Em 1509, recém chegado a Wittemberg, Martim Lutero escreveu uma carta a amigos do monastério em Erfurt, onde foi ordenado padre dois anos antes, desculpando-se por não ter se despedido deles e dizendo que gostaria de trocar a filosofia pela teologia, mas já sinalizava algo diferente. “Quero dizer uma teologia que seja capaz de adentrar no miolo da noz, no centro do grão de trigo, no tutano do osso”. Ele descobrira que a verdade está na palavra de Deus, mas é preciso interpretá-la. E tem certeza que não é da maneira que aprendera. Este foi o primeiro sinal.
Lutero 500 anos (2)
Em 1516, torna-se um professor respeitado na Universidade de Wittemberg. Em 1517 irrita-se com a campanha de venda de indulgências, de Johann Tetzel. Metade do dinheiro seria para pagar dívidas do arcebispo Albrecht de Mainz e outra metade para garantir um lugarzinho na eternidade. Ele achava que a igreja estava sendo usada por espertos e queria debater. Em vão. Então no dia 31 de outubro, a cidade cheia para celebração de Todos os Santos, estremece com as 95 teses, afixadas na porta da igreja do Castelo em Wittemberg. A atitude desencadeou acontecimentos dramáticos até 1524, que quase lhe custaram a vida. Mas representou uma mudança que o mundo reconhece como Reforma de Lutero. O luteranismo está presente em 98 países e movimenta quase 80 milhões de pessoas.
Lutero 500 anos (3)
Quanto mais leio sobre Lutero mais o admiro. Homem inteligente, atemporal, de muita coragem e visionário. Naqueles anos 1500 e pouco ele tinha convicções admiráveis, não aceitava aquele negócio de absolver pecados mediante pagamento ... vender cadeira no céu ... ele só queria espaço para debater, mostrar porque era contra e acabou provocando uma guerra religiosa, que deu origem ao protestantismo. Mas ele queria muito mais: alfabetizar para que as pessoas pudessem ler e interpretar a Bíblia; acabar com a hierarquia clerical, não teria mais papa, bispo, etc; eliminar imagens de santos, porque Deus é um só; extinguir o latim em cerimônias religiosas; abolir confissão e comunhão; acabar com o celibato para sacerdotes e tantas outras. Será que ele imaginava o que provocou?
Má gestão no INSS
O relator da CPI da Previdência apresentou o relatório final dos trabalhos, no qual conclui que a Previdência Social não é deficitária, mas, sim, alvo de má gestão. Está havendo manipulação de dados por parte do governo para que seja aprovada a reforma da Previdência. Acrescentou que “quando o assunto é Previdência, há uma série de cálculos forçados e irreais”. O relatório sugere a edição de dois projetos de lei e três propostas de emenda constitucional. Uma delas proíbe o uso de receitas da seguridade social em outros setores.

 
« InícioAnterior12345678910PróximoFim »

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL