Ex-deputado João Pizzolatti se envolve em acidente, não faz o bafômetro e foge do hospital
Sex, 22 de Dezembro de 2017 17:07

O ex-deputado federal João Pizzolatti (PP) se envolveu em uma colisão entre três carros de passeio no km 2500 da SC-421 em Blumenau, no Vale do Itajaí, ontem, no início da tarde (20). Um jovem de 23 anos teve queimaduras de primeiro e segundo graus e está internado no Hospital Santo Antônio. Ele estava em um Mobi com placas de Blumenau que pegou fogo. O ex-parlamentar teve ferimentos leves.
Os bombeiros foram acionados às 12h30 e disseram que Pizzolatti estava em um Volvo com placas de Joinville e estava alterado, aparentando sinais de embriaguez. A PMRv disse que chegou a deter Pizolatti, mas que como havia a suspeita de traumatismo craniano, foi priorizado o atendimento hospitalar. E que, como ele saiu do hospital antes de receber atendimento, segundo a PMRv, acabou fugindo do flagrante.
O advogado do ex-deputado, Michel Saliba Oliveira, disse que familiares do ex-parlamentar informaram que ele tem problemas com alcoolismo. Com machucados no rosto, Pizzolatti foi encaminhado para o mesmo hospital, mas teve alta por volta das 14h30. Uma terceira vítima, uma mulher de 43 anos, teve lesões leves e foi atendida e liberada no local. Ela estava em um Hyundai com placas de Pomerode.
O advogado de Pizzolatti disse que ele entrou em “processo depressivo que culminou com o alcoolismo” desde que terminou o mandato de deputado federal, em 2014. “Conversei com familiares que já tentaram internar ele antes, que ele já iniciou tratamento contra a dependência e que chegou a ficar internado por alguns dias, mas não foi eficaz. Pelas imagens [feitas após o aciente], ele aparenta estar embriagado, mas não posso afirmar. Esperamos que ele possa se tratar e responder pelos seus atos”, disse o advogado.
Em vídeo gravado por moradores logo após o acidente, Pizzolatti acabou confessando que havia consumido bebida alcoólica antes de dirigir e afirmou que assumiria a responsabilidade. Porém, o ex-deputado recusou-se a fazer o teste de bafômetro. Segundo a polícia, ele não foi detido em flagrante porque estava com sinais de que bateu a cabeça no momento do acidente e o médico do Samu preferiu encaminhá-lo ao hospital. Nesta quinta-feira, a polícia deve encaminhar o boletim de ocorrência à delegacia para que seja aberto um inquérito. (G1)