MEGAFONE
Seg, 14 de Agosto de 2017 14:31

Diárias – Enquanto o povo se obriga à fazer economia forçada para manter o pão na mesa dos seus filhos, nossos governantes, todos os prefeitos das cidades da nossa região resolvem que suas diárias tem que ter reajustes conforme o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), uma agressão ao trabalhador que precisa dar no couro com a renda de um salário mínimo de R$ 937,00 por mês, enquanto uma diária para um bate e volta dentro do estado o valor é de R$ 515,82, mas se o prefeito de Penha resolver ir para Brasília, a diária fica em R$ 876,89.



Sacanagem – Com a decisão da Juíza Regina Aparecida Soares Ferreira que condenou o município de Penha a indenizar os professores que foram demitidos cinco dias após as eleições, na ocasião o ex-prefeito Evandro Eredes dos Navegantes/PSDB alegou que as demissões faziam parte do processo administrativo e que compõe a transição de governo. Resumindo, a bomba acaba sempre explodindo na mão do povo que paga seus impostos. Acredito que a justiça deveria rever esses casos e cobrar de quem fez a m...., no caso fazer sangrar na própria carne  do ex-prefeito Evandro ou qualquer outro que tenha feito a mesma coisa.

Denúncias - Sem dúvida é uma vergonha saber quem foram os deputados que votaram a favor do arquivamento da denúncia, guarde bem esses nomes:
A favor do arquivamento deputados Celso Maldaner (PMDB), César Souza (PSD), João Paulo Kleinubing (PSD), João Rodrigues (PSD), Marco Tebaldi (PSDB), Mauro Mariani (PMDB), Rogério Peninha (PMDB), Ronaldo Benedet (PMDB) e Valdir Colatto (PMDB).
Contra o arquivamento
Os deputados que votaram contra o arquivamento, pela investigação do presidente, foram Carmen Zanotto (PPS), Décio Lima (PT), Esperidião Amin (PP), Geovania de Sá (PSDB), Jorge Boeira (PP), Jorginho Mello (PR) e Pedro Uczai (PT).

Vergonha
– Como se não bastasse ter conseguido impedir à investigação de denúncias contra o presidente Temer/PMDB, a Executiva peemedebista decidiu suspender por 60 dias as funções partidárias dos deputados Vitor Valim (CE), Jarbas Vasconcelos (PE), Celso Pansera (RJ), Laura Carneiro (RJ), Sérgio Zveiter (RJ) e Veneziano Vital do Rêgo (PB). “Esta decisão foi tomada por descumprimento dos parlamentares ao fechamento de questão sobre o assunto. O ato de suspensão já foi comunicado a todos os filiados e ao Conselho de Ética do partido. Afinal, o que significa um conselho de ética que não respeita a opinião dos seus parlamentares?